Cine Vila Amazonas

Foto 1. Cine VA

Foto 2. Parte da estrutura do telhado foi danificada

Foto 3. Apesar do mau estado de conservação é possível recuperar o Cine VA

Maquete

Maquete

Sistema Estrutural em Pórticos

Planta Baixa

O Cinema Vila Amazonas (Cine VA), localizado na Vila Amazonas, hoje um bairro esquecido do Município de Santana-AP, faz parte do contexto histórico da extração do minério de Manganês no Amapá. O protagonista principal dessa história foi a empresa ICOMI que depois de concluir os estudos geológicos em Serra do Navio e certificar da ótima qualidade do Manganês amapaense convocou o Eng. Arquiteto Oswaldo Bratke para projetar duas vilas residenciais para abrigar seus funcionários, uma em Serra do Navio e outra em Santana. A construção das vilas começou em 1955 e durou cinco anos.
Poucos conhecem, mas nos anos em que estiveram no auge estas duas vilas ganharam a boa crítica da imprensa nacional e internacional. Hoje a realidade de abondono demonstra um Estado incompetente e ignorante que nada faz para resgatar uma história tão bela.
Na Vila Amazonas, assim como na Vila Serra do Navio, Bratke demonstrou como a arquitetura deve ser generosa. Ele estudou desde as peculiaridades locais como a habitação cabocla, quanto as necessidades da empresa. O resultado foi uma arquitetura moderna, porém regional, de acordo com o que os críticos da época começavam a chamar de regionalismo crítico. Era uma arquitetura diferente que respeitava o homem e o Meio Ambiente. Não prescisava de condicionadores de ar pois a engenhosidade deste gênio da arquitetura nacional se faz presente em cada detalhe: venezianas móveis, paredes à meia altura, portas vazadas, cobogos, etc.
O estado de conservação deste que foi o primeiro cinema do Estado do Amapá não é muito bom pois passou um longo tempo sem manutenção, hoje o cinema é propriedade do Sistema Sesi/Senai e é usado como almoxarifado do Senai-Santana.

Por Petter Isackson, Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo da Unifap.